Vamos ajudar lar de idosos em Fortaleza (CE) que pode fechar a qualquer momento e precisa de apoio financeiro



A missão da Francisca Flávia Ferreira, de 45 anos, é muito nobre. Ela dedica a vida para cuidar de 28 idosos do Lar Cuidar Mais, que fica no bairro Canindezinho, em Fortaleza (CE).

O local é uma casa, que foi alugada pela própria Flávia há 1 ano. Além de abrigar idosos que chegam lá voluntariamente, ela ainda acolhe alguns que viviam em situação de rua.

Só que o lar está passando por muitas dificuldades. Eles estão prestes a fechar porque a casa está com uma série de problemas estruturais e sanitários. A cuidadora também precisa de doações de alimentos para os abrigados e, no momento, elas estão muito escassas.

Lançamos a vaquinha para ajudá-los em tudo o que precisam neste momento: reformar o abrigo e conseguir manter o local.




Ajuda que virou missão


A Flávia conta que ideia de começar o projeto surgiu depois que ela precisou ajudar um idoso que estava sem lar e necessitava de ajuda. 

“Com o valor que ele recebia e o estado [de saúde] que ele se encontrava, não havia lar nenhum que o recebia”, lembra a cuidadora. 

Flavia lembra que a situação a deixou muito comovida na época. “Era um idoso que morava só, tinha sofrido espancamento porque assaltaram ele”. 

O episódio aconteceu há pouco mais de 1 ano, exatamente o tempo de atividade da casa. Ela abraçou a causa e pediu ajuda para amigos, pois sentia que precisava fazer algo por essas pessoas.

“Com muita dificuldade eu abri a casa. Pedia ajuda a um e a outro. Pedia uma cama, pedia um colchão, panela”, lembra.

Alguns dos idosos que vivem no lar - Foto: arquivo pessoal

Lar para idosos em situação de rua


Além de receber os idosos que chegam lá por conta própria, a Flávia também retirou da rua alguns que viviam em situação de vulnerabilidade.

O primeiro que chegou até o lar foi o Genivaldo, que vivia nas ruas de Fortaleza há mais de 10 anos. “Ele vivia em situação de abandono, bem crítica. Hoje ele se encontra no lar e dar pra ver, bem nítido, a melhora dele. Está um idoso bem cuidado”, conta Flávia.

O segundo foi o Teófilo, que chegou com um câncer de pele. Ele possuía um ferimento na pele e, como não tinha como comprar curativo, usava folhas de planta para cobrir o local.

“É um idoso totalmente carente. Você olha para os olhinhos dele e ver a carência de amor. Isso é muito gratificante. É muito lindo esse retorno dele. Até um copo d’água ele agradece”, conta Flávia emocionada.

O Jurandir foi o terceiro idoso em situação de rua que a Flávia recolheu. Era, segundo a cuidadora, o que estava em uma situação mais crítica. Ele não anda, é deficiente visual e tinha diversos problemas por viver em vulnerabilidade. Hoje o Jurandir tem casa, alimento e muito amor no novo lar.

Seu Genivaldo (antes e depois) - Foto: arquivo pessoal

Eles podem perder a casa


A maior preocupação da Flávia hoje é perder a casa onde o asilo está instalado e não ter como realocar os idosos em outro lugar.

No caso daqueles que ela tirou da rua, Flávia teme, pois são os que vivem em uma situação mais delicada.

A casa é alugada pela cuidadora, e custa R$ 2500 por mês. O valor do aluguel é custeado voluntariamente por alguns idosos que recebem aposentadoria - que é de apenas 1 salário mínimo - além das doações que a Flávia recebe. 

O imóvel precisa passar por uma melhoria, pois está com a estrutura um pouco comprometida. Sem ter como reformar, já que ela depende de ajuda financeira para isso, o espaço pode, inclusive trazer vulnerabilidade para a saúde dos moradores.

“Aparecem muitos anjos bons para tá nos ajudando nessa caminhada, que não é fácil. Mas eu agradeço muito a Deus por mais um dia vencido”, finaliza a cuidadora.

A vaquinha vai ajudar a Flávia a reconstruir o lar desses idosos e poder levar mais conforto para eles. 

Vamos nessa missão com a gente?

Para doar, basta escolher o valor da sua contribuição, a forma de pagamento e confirmar!


Acompanhe também o trabalho da Flávia no Instagram @cuidar_mais21.
Conhecemos a história da Flávia e do Lar Cuidar Mais através da Cristina Silva, que é um anjo do Só Vaquinha Boa e idealizadora do Grupo Semeando Amor.

Equipe que ajuda a Flávia a cuidar do lar - Foto: arquivo pessoal
.
Os idosos têm acompanhamento médico para melhorar a qualidade de vida - Foto: arquivo pessoal
.
Os idosos recebem muito amor e carinho da Flávia e alguns voluntários - Foto: arquivo pessoal

Doe pelo PIX!


Ficou mais fácil para você transformar vidas! Doe pelo PIX com valor mínimo de a partir de R$ 1.

Sobre nossas vaquinhas


A equipe do SVB faz a pesquisa e a apuração de todas as histórias que chegam até nós. Cada campanha é acompanhada para que possamos mostrar como a sua doação foi importante na transformação da vida dessas pessoas. Temos a taxa de 9% para cobrir custos com as taxas bancárias e manutenção do site. Juntos, podemos continuar com a missão de mudar vidas!

Acompanhe nossas histórias através das redes sociais do SVB.

Problemas com pagamentos ou outras dúvidas? Entre em contato com a gente no [email protected]